1. Então esses três homens pararam de responder a , pois este se julgava justo.

2. Mas Eliú, filho de Baraquel, de Buz, da família de Rão, indignou-se muito contra , porque este se justificava a si mesmo diante de Deus.

3. Também se indignou contra os três amigos, pois não encontraram meios de refutar a , e mesmo assim o tinham condenado.

4. Eliú tinha ficado esperando para falar a , porque eles eram mais velhos que ele.

5. Mas, quando viu que os três não tinham mais nada a dizer, indignou-se.

6. Então Eliú, filho de Baraquel, de Buz, falou: "Eu sou jovem, vocês têm idade. Por isso tive receio e não ousei dizer-lhes o que sei.

7. Os que têm idade é que devem falar, pensava eu, os anos avançados é que devem ensinar sabedoria.

8. Mas é o espírito dentro do homem que lhe dá entendimento, o sopro do Todo-poderoso.

9. Não são só os mais velhos, os sábios, não são só os de idade que entendem o que é certo.

10. "Por isso digo: Escutem-me; também vou dizer o que sei.

11. Enquanto vocês estavam falando, esperei; fiquei ouvindo os seus arrazoados; enquanto vocês estavam procurando palavras,

12. dei-lhes total atenção. Mas não é que nenhum de vocês demonstrou que está errado? Nenhum de vocês respondeu aos seus argumentos.

13. Não digam: ‘Encontramos a sabedoria; que Deus o refute, não o homem’.

14. Só que não foi contra mim que dirigiu as suas palavras, e não vou responder a ele com os argumentos de vocês.

15. "Vejam eles estão consternados e não têm mais o que dizer; as palavras lhes fugiram.

16. Devo aguardar, agora que estão calados e sem resposta?

17. Também vou dar a minha opinião, também vou dizer o que sei,

18. pois não me faltam palavras, e dentro de mim o espírito me impulsiona.

19. Por dentro estou como vinho arrolhado, como vasilhas de couro novas prestes a romper.

20. Tenho que falar. Isso me aliviará. Tenho que abrir os lábios e responder.

21. Não serei parcial com ninguém, e a ninguém bajularei,

22. porque não sou bom em bajular; se fosse, o meu Criador em breve me levaria.

1. "Mas agora, , escute as minhas palavras; preste atenção a tudo o que vou dizer.

2. Estou prestes a abrir a boca; minhas palavras estão na ponta da língua.

3. Minhas palavras procedem de um coração íntegro; meus lábios falam com sinceridade o que eu sei.

4. O Espírito de Deus me fez; o sopro do Todo-poderoso me dá vida.

5. Responda-me, então, se puder; prepare-se para enfrentar-me.

6. Sou igual a você diante de Deus; eu também fui feito do barro.

7. Por isso não lhe devo inspirar temor, e a minha mão não há de ser pesada sobre você.

8. "Mas você disse ao meu alcance, eu ouvi bem as palavras:

9. ‘Estou limpo e sem pecado; estou puro e sem culpa.

10. Contudo, Deus procurou em mim motivos para inimizade; ele me considera seu inimigo.

11. Ele acorrenta os meus pés; vigia de perto todos os meus caminhos. ’

12. "Mas eu lhe digo que você não está certo, porquanto Deus é maior do que o homem.

13. Por que você se queixa a ele de que não responde às palavras dos homens?

14. Pois a verdade é que Deus fala, ora de um modo, ora de outro, mesmo que o homem não o perceba.

15. Em sonho ou em visão durante a noite, quando o sono profundo cai sobre os homens e eles dormem em suas camas,

16. ele pode falar aos ouvidos deles e aterrorizá-los com advertências

17. para previnir o homem das suas más ações e livrá-lo do orgulho,

18. para preservar da cova a sua alma, e a sua vida da espada.

19. Ou o homem pode ser castigado no leito de dor, com os seus ossos em constante agonia,

20. levando-o a achar a comida repulsiva e a detestar na alma sua refeição preferida.

21. Já não se vê sua carne, e seus ossos, que não se viam, agora aparecem.

22. Sua alma aproxima-se da cova, e sua vida, dos mensageiros da morte.

23. "Havendo, porém, um anjo ao seu lado, como mediador dentre mil, que diga ao homem o que é certo a seu respeito,

24. para ser-lhe favorável e dizer: ‘Poupa-o de descer à cova; encontrei resgate para ele’,

25. então sua carne se renova voltando a ser como de criança; ele se rejuvenece.

26. Ele ora a Deus e recebe o seu favor; vê o rosto de Deus e dá gritos de alegria, e Deus lhe restitui a condição de justo.

27. Depois ele vem aos homens e diz: ‘Pequei e torci o que era certo, mas ele não me deu o que eu merecia.

28. Ele resgatou a minha alma, impedindo-a de descer à cova, e viverei para desfrutar a luz’.

29. "Deus faz dessas coisas ao homem, duas ou três vezes,

30. para recuperar sua alma da cova, a fim de que refulja sobre ele a luz da vida.

31. "Preste atenção, , e escute-me; fique em silêncio, e falarei.

32. Se você tem algo para dizer, responda-me; fale logo, pois quero que você seja absolvido.

33. Se não tem nada a dizer, ouça-me, fique em silêncio, e eu lhe ensinarei a sabedoria".

1. Disse então Eliú:

2. "Ouçam as minhas palavras, vocês que são sábios; escutem-me, vocês que têm conhecimento.

3. Pois o ouvido prova as palavras como a língua prova o alimento.

4. Tratemos de discernir juntos o que é certo e de aprender o que é bom.

5. " afirma: ‘Sou inocente, mas Deus me nega justiça.

6. Apesar de eu estar certo, sou considerado mentiroso; apesar de estar sem culpa, sua flecha me causa ferida incurável’.

7. Que homem existe como , que bebe zombaria como água?

8. Ele é companheiro dos que fazem o mal, e anda com os ímpios.

9. Pois diz: ‘Não dá lucro agradar a Deus’.

10. "Por isso escutem-me, vocês que têm conhecimento. Longe de Deus esteja o fazer o mal, e do Todo-poderoso o praticar a iniqüidade.

11. Ele retribui ao homem conforme o que este fez, e lhe dá o que a sua conduta merece.

12. Não se pode nem pensar que Deus faça o mal, que o Todo-poderoso perverta a justiça.

13. Quem o nomeou para governar a terra? Quem o encarregou de cuidar do mundo inteiro?

14. Se fosse intenção dele, e de fato retirasse o seu espírito e o seu sopro,

15. a humanidade pereceria toda de uma vez, e o homem voltaria ao pó.

16. "Portanto, se você tem entendimento, ouça-me, escute o que lhe digo.

17. Acaso quem odeia a justiça poderá governar? Será que você condenará aquele que é justo e poderoso?

18. Não é ele que diz aos reis: ‘Vocês nada valem’, e aos nobres: ‘Vocês são ímpios’?

19. Não é verdade que ele não mostra parcialidade a favor dos príncipes, e não favorece o rico em detrimento do pobre, uma vez que todos são obra de suas mãos?

20. Morrem num momento, em plena noite; cambaleiam e passam. Os poderosos são retirados sem a intervenção de mãos humanas.

21. "Pois Deus vê o caminho dos homens; ele enxerga cada um dos seus passos.

22. Não há sombra densa o bastante, onde os que fazem o mal possam esconder-se.

23. Deus não precisa de maior tempo para examinar os homens, e levá-los à sua presença para julgamento.

24. Sem depender de investigações, ele destrói os poderosos e coloca outros em seu lugar.

25. Visto que ele repara nos atos que eles praticam, derruba-os, e eles são esmagados.

26. Pela impiedade deles, ele os castiga onde todos podem vê-los.

27. Isso porque deixaram de segui-lo e não deram atenção aos caminhos por ele traçados.

28. Fizeram chegar a ele o grito do pobre, e ele ouviu o clamor do necessitado.

29. Mas, se ele permanecer calado, quem poderá condená-lo? Se esconder o rosto, quem poderá vê-lo? No entanto, ele domina igualmente sobre homens e nações,

30. para evitar que o ímpio governe e prepare armadilhas para o povo.

31. "Suponhamos que um homem diga a Deus: ‘Sou culpado, mas não vou mais pecar.

32. Mostra-me o que não estou vendo; se agi mal, não tornarei a fazê-lo’.

33. Quanto a você, deveria Deus recompensá-lo quando você nega a sua culpa? É você que tem que decidir, não eu; conte-me, pois, o que você sabe.

34. "Os homens de bom senso, os sábios que me ouvem, me declaram:

35. não sabe o que diz; não há discernimento em suas palavras’.

36. Ah, se sofresse a mais dura prova, por sua resposta de ímpio!

37. Ao seu pecado ele acrescenta a revolta; com desprezo bate palmas entre nós e multiplica suas palavras contra Deus".

1. Eliú prosseguiu:

2. "Você acha que isso é justo? Pois você diz: ‘Serei absolvido por Deus’.

3. Contudo, você lhe pergunta: ‘Que vantagem tenho eu, e o que ganho, se não pecar? ’

4. "Desejo responder-lhe, a você e aos seus amigos que estão com você.

5. Olhe para os céus e veja; mire as nuvens, tão elevadas.

6. Se você pecar, em que isso o afetará? Se os seus pecados forem muitos, que é que isso lhe fará?

7. Se você for justo, o que lhe dará? Ou o que ele receberá de sua mão?

8. A sua impiedade só afeta aos homens, seus semelhantes, e a sua justiça, aos filhos dos homens.

9. "Os homens se lamentam sob fardos de opressão; imploram que os libertem do braço dos poderosos.

10. Mas não há quem pergunte: ‘Onde está Deus, o meu Criador, que de noite faz surgirem cânticos,

11. que nos ensina mais que aos animais da terra e nos faz mais sábios que as aves dos céus? ’

12. Quando clamam, ele não responde por causa da arrogância dos ímpios.

13. Aliás, Deus não escuta a vã súplica que fazem; o Todo-poderoso não lhe dá atenção.

14. Pois muito menos escutará quando você disser que não o vê, que a sua causa está diante dele e que você tem que esperar por ele.

15. Mais que isso, que a sua ira jamais castiga e que ele não dá a mínima atenção à iniqüidade.

16. Assim é que abre a sua boca para dizer palavras vãs; em sua ignorância ele multiplica palavras".

1. Disse mais Eliú:

2. "Peço-lhe que seja um pouco mais paciente comigo, e lhe mostrarei que se pode dizer mais verdades em defesa de Deus.

3. Vem de longe o meu conhecimento; atribuirei justiça ao meu Criador.

4. Não tenha dúvida de que as minhas palavras não são falsas; quem está com você é a perfeição no conhecimento.

5. "Deus é poderoso, mas não despreza os homens; é poderoso e firme em seu propósito.

6. Não poupa a vida dos ímpios, mas garante os direitos dos aflitos.

7. Não tira os seus olhos do justo; ele o coloca nos tronos com os reis e o exalta para sempre.

8. Mas, se os homens forem acorrentados, presos firmemente com as cordas da aflição,

9. e lhes dirá o que fizeram, que pecaram com arrogância.

10. Ele os fará ouvir a correção e lhes ordenará que se arrependam do mal que praticaram.

11. Se lhe obedecerem e o servirem, serão prósperos até o fim dos seus dias e terão contentamento nos anos que lhes restam.

12. Mas, se não obedecerem, perecerão à espada e morrerão na ignorância.

13. "Os que têm coração ímpio guardam ressentimento; mesmo quando ele os agrilhoa eles não clamam por socorro.

14. Morrem em plena juventude entre os prostitutos dos santuários.

15. Mas aos que sofrem ele os livra em meio ao sofrimento; em sua aflição ele lhes fala.

16. "Ele está atraindo você para longe das mandíbulas da aflição, para um lugar amplo e livre, para o conforto da mesa farta e seleta que você terá.

17. Mas agora, farto sobre você é o julgamento que cabe aos ímpios; o julgamento e a justiça o pegaram.

18. Cuidado! Que ninguém o seduza com riquezas; não se deixe desviar por suborno, por maior que este seja.

19. Acaso a sua riqueza, ou mesmo todos os seus grandes esforços, dariam a você apoio e alívio da aflição?

20. Não anseie pela noite, quando o povo é tirado dos seus lares.

21. Cuidado! Não se volte para a iniqüidade, que você parece preferir à aflição.

22. "Deus é exaltado em seu poder. Quem é mestre como ele?

23. Quem lhe prescreveu os seus caminhos, ou lhe disse: ‘Agiste mal’?

24. Lembre-se de exaltar as suas obras, às quais os homens dedicam cânticos de louvor.

25. Toda a humanidade as vê; de lugares distantes os homens as contemplam.

26. Como Deus é grande! Ultrapassa o nosso entendimento! Não há como calcular os anos da sua existência.

27. "Ele atrai as gotas de água, que se dissolvem e descem como chuva para os regatos;

28. as nuvens as despejam em aguaceiros sobre a humanidade.

29. Quem pode entender como ele estende as suas nuvens, como ele troveja desde o seu pavilhão?

30. Observe como ele espalha os seus relâmpagos ao redor, iluminando até as profundezas do mar.

31. É assim que ele governa as nações e lhes fornece grande fartura.

32. Ele enche as mãos de relâmpagos e lhes determina o alvo que deverão atingir.

33. Seu trovão anuncia a tempestade que está a caminho; até o gado a pressente.

1. "Diante disso o meu coração bate aceleradamente e salta do seu lugar.

2. Ouça! Escute o estrondo da sua voz, o trovejar da sua boca.

3. Ele solta os seus relâmpagos por baixo de toda a extensão do céu e os manda para os confins da terra.

4. Depois vem o som do seu grande estrondo: ele troveja com sua majestosa voz. Quando a sua voz ressoa, nada o faz recuar.

5. A voz de Deus troveja maravilhosamente; ele faz coisas grandiosas, acima do nosso entendimento.

6. Ele diz à neve: ‘Caia sobre a terra’, e à chuva: ‘Seja um forte aguaceiro’.

7. Ele paralisa o trabalho de cada homem, a fim de que todos os que ele criou conheçam a sua obra.

8. Os animais vão para os seus esconderijos; e ficam nas suas tocas.

9. A tempestade sai da sua câmara, e dos ventos vem o frio.

10. O sopro de Deus produz gelo, e as vastas águas se congelam.

11. Também carrega de umidade as nuvens, e entre elas espalha os seus relâmpagos.

12. Ele as faz girar, circulando sobre a superfície de toda a terra, para fazerem tudo o que ele lhes ordenar.

13. Ele traz as nuvens, ora para castigar os homens, ora para regar a sua terra e mostrar o seu amor.

14. "Escute isto, ; pare e reflita nas maravilhas de Deus.

15. Acaso você sabe como Deus comanda as nuvens e faz brilhar os seus relâmpagos?

16. Você sabe como ficam suspensas as nuvens, essas maravilhas daquele que tem perfeito conhecimento?

17. Você, que em sua roupa desfalece de calor quando a terra fica amortecida sob o vento sul,

18. pode ajudá-lo a estender os céus, duros como espelho de bronze?

19. "Diga-nos o que devemos dizer a ele; não podemos elaborar a nossa defesa por causa das nossas trevas.

20. Deve-se dizer-lhe o que lhe quero falar? Quem pediria para ser devorado?

21. Ninguém pode olhar para o fulgor do sol nos céus, depois que o vento os clareia.

22. Do norte vem luz dourada; Deus vem em temível majestade.

23. Fora de nosso alcance está o Todo-poderoso, exaltado em poder; mas, em sua justiça e retidão, não oprime ninguém.

24. Por isso os homens o temem; não dá ele atenção a todos os sábios de coração? "

Significados: , Deus.

Você está lendo na edição NVI, Nova Versão Internacional, em Português.
Este lívro compôe o Antigo Testamento, tem 42 capítulos, e 1070 versículos.